O consumo na formação da nova cidadania: da cidade pública à cidade Mercadoria

  • César Andrés Alzate Hoyos Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brasil

Resumen

o intuito deste texto é abordar de maneira analítica o conceito de cidadania a partir de duas questões que se apresentam como “duas caras de uma mesma moeda”, o público e o privado, tendo estes um desdobramento que parece cada vez mais redimensionar o direito à cidade e a formação da própria cidadania, estamos falando das formas em que o capital está sendo dinamizado pelo consumo, transformando uma cidade-pública em uma cidade-mercadoria. Questionamo-nos, no decorrer deste texto, que desdobramentos trariam uma cidadania centralizada no capital dentro de uma clara função mercadológica da cidade por cima da função social e a centralidade que o “público” exercia sobre esta?

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Albou, P. (1976). Besoins et motivations économiques. Paris: Presses Universitaires de France

Alonso, L. (2005). La era del consumo. Madrid: Siglo XXI.

Alves, R. (2015). O direito e a propriedade: o privado, o público, o comum. MG: Selected Works Universidade Federal de Minas Gerais.

Bauman, Z. (2007). Vida de consumo. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

Borja, J. (2003). La ciudad conquistada. Madrid: Alianza Editorial.

Delgado, M. (2011). El espacio público como ideologia. Madrid: Catarata.

García, B. (1998). Nuevos espacios de consumo y exclusión social. Anales de Geografía de la Universidad Complutense de Madrid. (18), p. 47-63.

Hobsbawm, E. (1995). Historia del siglo XX (1914-1991). Barcelona: Crítica.

Holston, J. (2013). Cidadania insurgente. Disjunções da democracia e da modernidade no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.

Innerarity, D. (2006). O novo espaço público. Lisboa: Teorema.

Mandel, E. (1986). Las ondas largas del desarrollo capitalista. La interpretación marxista. Madrid: Siglo XXI.

Pradilla, E, Márquez, L. (2017). La privatización y mercantilización de lo urbano. XVII Enanpur.

Pradilla, E. (1994). Privatización de la infraestructura y los servicios públicos: sus Contradicciones. Argumentos, n. 21.

Santos, M. (2009). Por uma economia política da cidade: o caso de São Paulo. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

_____. (2007). Espaço do cidadão. 7. ed. São Paulo: Edusp.

Sennett, R. (1999). O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. Tradução: Lygia Araújo Watanabe. São Paulo: Companhia das Letras.

Serpa, A. (2007). O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto.

Taylor, C. (1994). La ética de la autenticidad. Barcelona: Paidós.

Topalov, C. (1974). Les promoteurs immobiliers. Paris: Mouton.

Young, Iris, M. (1990). Justice and the Politics of Difference. Princeton University Press.

Caldeira, T. (2011). A implosão da vida pública moderna. En: Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: EDUSP.

Fernando, B. Richard S. (2010). O Declínio do Homem Público: as tiranias da intimidade. Antíteses, vol. 3, n. 5, pp. 623-633.

Berger, P; Luckmann, T. (1979). La construcción social de la realidad. 5. ed. Buenos Aires: Amorrortu.
Publicado
2018-11-02
Como citar
ALZATE HOYOS, César Andrés. O consumo na formação da nova cidadania: da cidade pública à cidade Mercadoria. Entorno Geográfico, [S.l.], n. 16, nov. 2018. ISSN 2382-3518. Disponible en: <http://entornogeografico.univalle.edu.co/index.php/entornogeografico/article/view/7156>. Fecha de acceso: 24 mar. 2019 doi: https://doi.org/10.25100/eg.v0i16.7156.
Sección
Artículos (Espacios y Territorios)

Palabras clave

cidade-pública, cidade-mercadoria, propriedade, cidadania, consumo