Configuraciones de ciudades en la Amazonía brasileña: el caso de Coari en el Amazonas

Resumen

This article presents theoretical approaches on the concepts of rural and urban in the Western Amazon. The methodology used is a literature review and a case study. The rural and the urban are relevant themes in the investigations of the Group of Studies and Research on Territorial and Urban Planning, of the Federal University of Pará, as well as the discussions of the Center of Studies and Research of the Cities in the Brazilian Amazon of the Federal University of Amazonas. We analyze the case of the city of Coari in Amazonas, which underwent socio-spatial transformations since the arrival of the oil industry, when the financial transfer to the City Hall, referring to the royalties resources, begins. It discusses the transformations that have occurred and, consequently, how the theoretical concepts of rural and urban cannot be applied in their entirety, considering that the region of the western Amazon has certain particularities such as: the relationship with the forest and with the rivers still remains alive in the daily life of the population of Coari and, at the same time, the city's economy is linked to the oscillations of the international oil market, maintaining a culture of sponsorship and political patronage.

Autores/as

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Palabras clave

Citas

Abercrombie, N., e Urry, J. (1983). Capital, Labour and the Middle Classes. London: Allen and Unwin.

Agência Nacional do Petróleo – ANP. (2020). Royalties. Disponível em http://www.anp.gov.br/royalties-e-outras-participacoes/royalties.

Almeida, W. S., e Souza, N. M. (2008). Coari: petróleo e sustentabilidade, um exemplo amazônico. Desenvolvimento e Meio Ambiente (UFPR), 17, 69-92.

Castro, E., Figueiredo, S., Rivero, S. L., e Almeida, O. (2018). Pensamento crítico sobre a Amazônia e o debate sobre desenvolvimento (Paper do NAEA 379). Belém: UFPA.

Davoudi, S., e Stead, D. (2002). Urban-rural relationships: an introduction and brief history. Built environment, 28(4), 269-277.

Elias, D. (2006a). Ensaios sobre os espaços agrícolas de exclusão. Revista NERA, 1(8), 29-51.

Elias, D. (2006b). Globalização e fragmentação do espaço agrícola do Brasil. Scripta Nova: Revista electrónica de Geografía y Ciências Sociales, 1, 59-81.

Elias, D. (2007a). O meio técnico-científico-informacional e a reorganização do espaço agrário nacional. Em G. J. Marafon, J. Rua e M. A. Ribeiro (Orgs.), Abordagens teórico metodológicas em geografia agrária (pp. 49-66). RJ: EdUERJ.

Elias, D. (2007b). Agricultura e produção de espaços urbanos não metropolitanos: notas teórico metodológicas. EM M. E. Sposito (Org.), Cidades médias: espaços em transição (pp. 153-167). São Paulo: Expressão Popular.

Elias, D. (2008). Redes agroindustriais e urbanização dispersa no Brasil. Scripta Nova: Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, XII, 74-96. Recuperado de https://revistes.ub.edu/index.php/ScriptaNova/article/view/1499.

Elias, D. (2009). Reestruturação produtiva da agropecuária e urbanização dispersa no Brasil. Em C. B. Sanfeliu e M. E. Sposito (Orgs.), Las ciudades medias o intermédias em um mundo globalizado (pp. 87-105). Lleida: Editorial de la Universitat de Lleida.

Elias, D. (2012). XII Relações campo-cidade, reestruturação urbana e regional no Brasil. Coloquio Internacional de Geocrítica. Bogotá, Colombia.

Escobar, A. (1995). Encoutering development: the making and unmaking of the third world. Princeton: Princeton University Press.

Ferguson, J. (1994). The anti-politics machine: “development”, despolitization, and bureaucratic power in Lesotho. Minneapolis & London: Oxford University Press.

Fernández, L. J., Fernández, M. I., e Soloaga, I. (2019). Enfoque territorial y análisis dinámico de la ruralidad: alcances y límites para el diseño de políticas de desarrollo rural innovadoras en América Latina y el Caribe. Ciudad de México: CEPAL.

Fraxe, T. (2011). Homens anfíbios: etnografia de um campesinato das águas. São Paulo: Anna Blume.

Haoxovell de Lira, S. (2013). As mudanças do habitus a partir da exploração de petróleo e gás natural em Coari-AM (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia. Universidade Federal do Amazonas, Manaus. Amazonas, Brasil.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2006). Base Cartográfica.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2010). Censo demográfico 2010. Disponível em https://censo2010.ibge.gov.br/ resultados.html.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2013). Censo demográfico 2010. Disponível em https://censo2010.ibge.gov.br/ resultados.html.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2020). Censo demográfico 2010. Disponível em https://censo2010.ibge.gov.br/ resultados.html.

Leyen, B. C. (2008). Eco-eficiência na exploração e produção de petróleo e gás em regiões de florestas tropicais úmidas: o caso da Petrobrás na Amazônia. Dissertação de mestrado, COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro.

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão do Brasil. (2012). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: 2012. Coari: Lavoura permanente 2004-2011.

Pereira, J., Gasparotto, L., Arruda, M., e Pereira, M. (2008). História e impacto da entrada da sigatoka-negra no Brasil: 10 anos da identificação da doença. Repositório Embrapa. Disponível em https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/684072.

Pereira. R. E. D. (2016). Pela margem: ribeirinhos e transformações sociais na Amazônia. (Tese de Doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Piquet, R., Tavares, E., e Pessôa, J. (2017). Emprego no setor petrolífero: dinâmica econômica e trabalho no Norte Fluminense. Cadernos Metrópole, 19(38), 201-224. Disponível em https://revistas.pucsp.br/metropole/article/view/2236-9996.2017-3808.

Santana, P. V. (2017). Dimensões espaciais de cidades amazonenses: do dinheiro do petróleo aos serviços públicos de educação. Em A. M. Neto, C. N. Castro e C. A. Brandão, (Orgs.), Desenvolvimento regional no Brasil: políticas, estratégias e perspectivas. (pp. 157-196). Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA.

Santos, M. (1988). Metamorfoses do espaço habitado, fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. São Paulo: Hucitec.

Santos, M. (1995). Os grandes projetos: sistema de ação e dinâmica espacial. En E. Castro, E. Moura e M. L. Maia (Eds.), Industrialização e grandes projetos: desorganização e reorganização do espaço (pp. 13-20). Belém: NAEA-UFPA.

Schor, T., Oliveira, J., Moraes, A., e Santana, P. (2016). Apontamentos metodológicos sobre o estudo de cidades e de rede urbana no estado do Amazonas, Brasil. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, 9(1), 09-35. doi: 10.18468/pracs.2016v9n1.p09-35.

Soler, C. (2009). A cidade de Coari/AM e os reflexos da exploração de petróleo e gás natural pela Petrobras (Paper do NAEA 253). Belém: UFPA.

Thierion, B. (2015). Olhares sobre a terra e o homem da Amazônia: um imaginário em construção. Brasil/Brazil, 28(51), 43-65. Disponível em https://seer.ufrgs.br/brasilbrazil/article/view/61016

Tocantins, L. (1988). O rio comanda a vida: uma interpretação da Amazônia. Rio de Janeiro: Record.

Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). (2018). Juiz condena ex-prefeito de Coari, Manoel Adail Pinheiro por improbidade administrativa. Consulta Processual. Disponível em https://www.tjam.jus.br/index.php/menu/sala-de-imprensa/208-juiz-condena-ex-prefeito-de-coari-manoel-adail-pinheiro-por-improbidade-administrativa

Trindade, S. C. (2013). Das “cidades na floresta” às “cidades da floresta”: espaço, ambiente e urbano diversidade na Amazônia brasileira (Paper do NAEA 321). Belém: UFPA.

Weber, M. (1999). A objetividade do conhecimento nas ciências sociais. Em G. Cohn (Org.) e F. Fernandes (Coord.), Weber – sociologia -Coleção Grandes Cientistas Sociais 13-, (pp. 79-127). São Paulo: Ática.

Publicado
2020-05-15
| 131 |
Sección
Artículos (Espacios y Territorios)